A Porta Estreita

Porque é apertado o caminho que leva à vida…

Amuletos Cristãos

“Usar lenços e toalhas ungidas para curar os enfermos é bíblico? Se não é, porque os milagres acontecem?” – Internauta anônimo.

O texto de Atos 19.11-12 diz os seguinte: “E Deus, pelas mãos de Paulo, fazia maravilhas extraordinárias, de sorte que até os lenços e aventais se levavam do seu corpo aos enfermos, e as enfermidades fugiam deles, e os espíritos malignos saiam”. Esta é uma das passagens mais usadas para defender esta “doutrina”. Vamos analisá-la em partes, usando uma boa exegese. Vou fazer algumas perguntas, e as respostas têm de vir dos versículos supracitados:

a) Quem fazia maravilhas extraordinárias? “E Deus…”

b) Pelas mãos de quem se faziam coisas maravilhosas? “…pelas mãos de Paulo…”

c) O que foi levado de Paulo aos enfermos? “…os lenços e aventais se levavam do seu corpo…”

d) Quando Paulo ungiu os lenços e aventais? “…”

e) Paulo distribuiu os aventais e lenços? “…”

f) Onde Paulo ensinou que tal procedimento era necessário para a cura e libertação dos espíritos malignos? “…”

E mais uma pergunta: Onde Jesus ensinou tal doutrina? “…”

Há outras passagens, como João 9.5-7, que poderiam ser analisadas. Mas basta uma leitura um pouco mais atenta para verificar que são apenas casos especiais, e não doutrinas. Não são modos-padrão de operação. Tomar estes textos como doutrina é ir além do que a Bíblia ensina.

Com respeito aos testemunhos de curas, podemos atribuir a eles alguns fatores:

1. A misericórdia de Deus que sobrepassa todo entendimento pode ser uma das causas (Mt 14.14);

2. Alguns milagres podem ter origem diabólica, com o intuíto de promover o engano (2Ts 2.9-12);

3. As coincidências não devem ser descartadas: Não é difícil encontrar em meio a uma multidão de 50 mil pessoas, umas 10 que realmente tenham sido “curadas”. A explicação pode estar na defesa natural do próprio organismo.

4. Auto-sugestão: Muitas pessoas testificam porque realmente pensam que foram curadas. Alguns dias depois, porém, os sintomas voltam a aparecer, o que denota que a cura foi uma farsa, produto de indução psicológica.

A Bíblia é nossa regra de fé e de prática. Qualquer acréscimo deve ser desconsiderado, assim como retirar partes dela. Ainda mais quando contraria ou distorce o que a Palavra de Deus diz. Pior do que a mentira é a perversão da verdade.

Adaptado do artigo do NAIPEC
Fonte: Bereianos / Pulpíto Cristão
Via Portal Gospel TV

Anúncios

19/11/2009 Posted by | Discipulado | Deixe um comentário

Em Nome de Jesus

E tudo quanto pedirdes em meu nome, isso farei, a fim de que o Pai seja glorificado no Filho (Jo 14,13).

Da Teologia Sistemática, de Wayne Grudem:

É nítido que não significa simplesmente acrescentar a expressão “em nome de Jesus” depois de cada oração, pois Jesus não disse: “Se pedirem alguma coisa e acrescentarem as palavras ‘em nome de Jesus’ após a oração, eu o farei”. Jesus não está meramente falando de acrescentar determinadas palavras, como se fossem uma espécie de fórmula mágica que daria poder às nossas orações. […]

Num sentido mais amplo, o “nome” de uma pessoa no mundo antigo representava a própria pessoa e, portanto, a totalidade do seu caráter. Ter “bom nome” (Pv 22,1; Ec 7,1) era ter boa reputação. Assim, o nome de Jesus representa tudo o que ele é, todo o seu caráter. Isso significa que orar “em nome de Jesus” não é só orar com sua autoridade, mas também orar de modo compatível com seu caráter, que verdadeiramente o represente e reflita o seu modo de vida e a sua própria santa vontade. Nesse sentido, orar em nome de Jesus se aproxima da ideia de orar “segundo a sua vontade” (1Jo 5,14-15).

Li no Nani e a Teologia.

04/11/2009 Posted by | Discipulado | Deixe um comentário

Fé cega?

“Pensa em tudo o que crê. Porque a fé, se não se pensa no que crê, é nula.”

Agostinho de Hipona

31/08/2009 Posted by | Discipulado | Deixe um comentário

Pregar O Que Vive X Viver O Que Prega

bibliaOntem ouvindo uma pregação, ouvi (não foi a primeira vez) do pastor que “eu sou o que sou em qualquer lugar, porque um pastor de verdade prega o que vive, e não vive o que prega”. Fiquei com essa frase na cabeça (também não é a primeira vez) e, por mais que mudasse os ângulos de visão, não consegui concordar com ela. Pelo menos não totalmente.

É sabido que o pastor é aquele que cuida das ovelhas para o seu Senhor. É papel do pastor tratá-las corretamente, dar alimento, tosar e cortar as unhas e ensiná-las o caminho certo. Mas uma das funções mais conhecidas do pastoreio é a de pregador, de comunicador da palavra de Deus. E é aí que entra minha discordância.

Nenhum ser humano no mundo, com excessão de Jesus terreno, conseguiu ou consegue seguir todos os mandamentos de Deus. Sequer os dois maiores mandamentos, destacados por Jesus, são cumpridos na íntegra (amar a Deus sobre todas as coisas e ao próximo como a si mesmo). No dia-a-dia, pecamos quase que imperceptivelmente, principalmente os pecados morais (cobiça, murmuração, idolatria, etc.). Se uma pessoa, que sincera e honestamente, tem consciência que não cumpre totalmente a vontade de Deus para sua vida, essa pessoa não pode pregar a Palavra? Por que, se eu digo para um irmão que ele não pode murmurar, e eu murmuro, não estou pregando o que vivo, correto?

Agora, se eu vivo o que prego, aí sim estou praticando o princípio de todo grande pregador: a mensagem que eu levo aos meus irmãos tem que atingir primeiro a minha vida! Eu sei o que o Senhor quer de mim, sei o que a Palavra diz que tenho que viver, mas sou fraco e pecador, como todo homem, independente do cargo que ocupo. Também erro, também escorrego às vezes, mas nem por isso deixarei de proclamar a Verdade do Evangelho! É Deus quem vai me ajudar a vencer, é pra mim que Ele fala quando eu recebo iluminação ao estudar Sua Palavra.

Aí sim, penso eu, se eu não buscar viver aquilo que prego, se não enxergar que me encaixo naquilo que Deus chama de errado, se só enxergo pecadores à minha volta e não vejo o pecado em mim, aí sim as coisas mudam. Porque então eu sou hipócrita, só enxergo o cisco no olho dos meus irmãos, das pessoas de outra denominação, nos não-crentes. Nesse caso sim, concordo plenamente que aquele que vive assim não tem o direito de confrontar ninguém, porque deixou de ser um pregador pra ser um mero mensageiro.

28/08/2009 Posted by | Discipulado | 9 Comentários

Banana de Pijamas

bananas-de-pijamasDesde tempos remotos que o homem possui um destaque maior que a mulher na sociedade. Dentro de casa, no trabalho, ou mesmo na rua, o homem sempre foi marcado como machista, discriminador e às vezes mesmo como um ditador. Hoje em dia, porém, a sociedade tem sido acometida por um novo tipo de homem. A luta das mulheres pelos direitos iguais, fez com que muitos homens se acomodassem, sentassem em seus sofás de frente à TV e deixassem que as mulheres comandassem a casa, a educação dos filhos e até mesmo o marido.

Um ótimo exemplo disso passou no Fantástico há poucas semanas. Um conflito entre madrasta e enteada, marcado pelo desrespeito de uma e a falta de tolerância da outra, fez com que pra muitos passasse despercebido o homem da casa. Um sujeito apagado, que sentia-se (como muitos homens hoje) com orgulho do dever cumprido por trabalhar o dia inteiro e ter posto dinheiro dentro de casa, mas que não se importava com os acontecimentos dentro de sua casa, desde que seu principal companheiro estivesse próximo: o insubstituível aparelho de tv.

O resultado disso era um clima quase sempre tenso, que exigia tomadas de decisão que nunca eram tomadas, salvo quando a situação já era tão insuportável, que levava este homem a gritar com ambas, solução usada pelos animais selvagens (que gritam para espantar os predadores), mas que dentro de casa não serve pra muita coisa.

Homens, entendam que o comando da casa não é responsabilidade da mulher, e sim sua. Que a responsabilidade pelo lar, pela educação dos filhos, pelo estudo da Palavra de Deus, tudo isso é do homem. A mulher está ao seu lado para auxiliá-lo, para fazer cumprir aquilo que já foi definido por você, ou por ambos, não pra decidir no seu lugar. A mulher pode até tentar substituir o papel do homem no lar, mas no fim de tudo, é a você que Deus cobrará.

06/08/2009 Posted by | Discipulado | 3 Comentários

Acerca do Batismo

BatismoNão, eu não vou falar sobre o Batismo no Espírito Santo, esse assunto controverso e delicado, visto de formas tão diferentes em diferentes denominações, causando em alguns casos inclusive discriminação entre irmãos. Porém o batismo que falarei hoje é o batismo nas águas, assunto bem menos controverso. Será?

Primeiro, vamos pensar nos tipos de batismo: imersão, aspersão e efusão. O batismo por aspersão é aquele em que a água é borrifada na cabeça, utilizado pela Igreja Católica. Por efusão a água é despejada sobre a pessoa, e por imersão é o mais usado nas igrejas evangélicas, onde a pessoa é mergulhada em água. Como a palavra batismo vem do grego baptismō e significa mergulhar, nós batistas acreditamos que o processo de imersão é o correto, portanto efetuamos o batismo em lagos, rios, praias ou piscinas. Poderia citar passagens bíblicas acerca do batismo, mas acho que hoje não vem ao caso.

A questão que gostaria de levantar é: quem pode afirmar se um batismo é válido ou não?

O batismo é símbolo do arrependimento, que já foi gravado no seu coração no dia da conversão. A partir do momento em que você aceita a Cristo como seu Senhor e Salvador, você já é um cidadão do Céu, e o batismo é como uma aliança de casamento, que apenas simboliza sua salvação como o anel simboliza seu casamento. Para que o batismo seja genuíno, é necessário que a pessoa tenha se arrependido de verdade, e tenha convicção do porque está se batizando (por isso somos contra o batismo de crianças, que não tem consciência do próprio pecado e, portanto, não pode se arrepender), e isso só a própria pessoa pode dizer.

Em algumas denominações, ou mesmo igrejas mais conservadoras, nenhum batismo é aceito senão o que for feito na própria igreja. Essa doutrina é fruto de um coração duro e de um exclusivismo demoninacional, que restringe o poder de Deus a um templo ou a um grupo específico. Anular um batismo porque ele foi feito em outra denominação, é tirar do batizado sua convicção num ato simples e simbólico, que não leva ninguém à salvação.

Em nossa Igreja, perguntamos ao novo membro: “Você foi batizado em uma Igreja Evangélica? Em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo, como o exemplo que Jesus deixou? Tem convicção do seu ato, dentro do seu coração?” Se sim, pra que batizar de novo? Mesmo o batismo com aspersão, feito com convicção de ato, é aceito, porque é a própria pessoa quem avalia, não um pastor ou um entrevistador.

Triste são as pessoas que se batizam, mas não tem convicção sequer do seu compromisso com Cristo, de morrer para o mundo e viver para Ele. Esses deveriam ter seu batismo questionado, ter sua árvore cortada e lançada ao fogo (Mt 3.10), e muitas vezes não o são.

Nós, que deveríamos ser a luz do mundo, estamos afundando cada vez mais em trevas…

10/07/2009 Posted by | Discipulado | 1 Comentário

Conselho aos Pregadores

pregadorUm conselho aos pregadores. Verdade e falsidade são um bom par de categorias para ser usado na decisão do que pregamos. Fale a verdade, não a mentira.

Mas existe outro par de categorias crucial. Deus diz para Jeremias que para ser fiel ele deveria utilizar este par:

Portanto assim diz o Senhor: “… se você disser palavras de valor, e não indignas, será o meu porta-voz…” (Jeremias 15: 19)

Ao decidir o que pregar faça estes dois julgamentos: é verdade e é precioso? Pregue o que seja ambos. Se for verdade, pregue-o com autoridade. Se for precioso, pregue-o com paixão.

Um grande motivo pelo qual algumas pregações não tocam as pessoas é porque os pregadores aparentam que não foram tocados. Isto é precioso ou não? Essa é a pergunta no coração do povo. E se for, por que você não transparece isso?

A grande batalha da pregação é ver o que é verdadeiro e saborear o que é precioso. Uma visão fraca e um saborear fraco são uma maldição para o povo de Deus.

Irmãos, clamem por livramento desta maldição. “As ordenanças do Senhor são verdadeiras, são todas elas justas. São mais desejáveis do que o ouro, do que muito ouro puro; são mais doces do que o mel, do que as gotas do favo.” (Salmos 19:9-10).

– John Piper

08/07/2009 Posted by | Discipulado | Deixe um comentário

Homenagem

Ontem, após a Escola Bíblica dominical, que aconteceu no templo, houve uma homenagem a alguns professores de diversas classes, e eu fui homenageado como líder de pequeno grupo. Claro que fiquei muito feliz com a homenagem, mas tenho total consciência de que os méritos não são meus.

Os méritos são, em primeiro lugar do Senhor, que unge e capacita quem quer, e que há alguns anos me tirou do monturo e me colocou em lugares algos, para honra e glória do Seu nome. O mérito é da minha esposa Monique, que reacende a cada dia o meu desejo de ser melhor para Deus e para os homens, e que me ajuda a ver meus defeitos e minha qualidades. O mérito é dos meus secretários, Carlinhos e Débora, que estão sempre ao meu lado, me ajudando e incentivando a prosseguir cada dia mais. O mérito são dos meus líderes auxiliares, Rogério e Juliana, que mostram sua sede de conhecer e prosseguir em conhecer ao Senhor, e que fazem com que me veja há 4 anos atrás, com semelhanças enormes, e me deixam a certeza de que vão crescer sem limites como homens, como líderes e como filhos do Rei.

Claro que não poderia deixar de citar meu pastor, Paulo Roberto Ramos, o Pr. Paulão, e o ministro Edilson, que muito tem me ensinado, com seu exemplo, com sua paciência e sua total disposição.

Obrigado Senhor, não só por me usar, mas por me envolver de pessoas carinhosas, amigas e capazes, pra me mostrar que não posso Te ver, mas posso Te sentir através do Seu cuidado comigo. Toda Honra, toda Glória e todo o Louvor sejam dados a Ti, meu Deus!

06/07/2009 Posted by | Adoração, Comunhão, Discipulado | 1 Comentário

O Que Vem Depois da Lei de “Homofobia”

Abaixo um texto publicado na UBE, que fala sobre o provável resultado de uma lei que nos impede de ensinar nas escolas, igrejas e até em casa aquilo que vai contra a Palavra de Deus. Lembrando que Deus condena o homossexualismo, não o homossexual. Para esse há livre acesso ao amor de Deus. Já havia escrito sobre homofobia no outro blog, e é um post que rende comentários até hoje.

VOCÊ VAI PERMITIR?
(¿Usted lo permitirá?)

Pastor Hector Muñoz Uribe – Concepción/Chile – Tradução de João Cruzué

O que você diria se um homossexual entregasse a “teu” filho de oito anos um “manual” para convencê-lo de que suas condutas [homossexuais] são inteiramente normais? Que diria você se esse “manual” lhe inculcara que as condutas homossexuais não são aceitas por culpa da Igreja e da moral cristã que você tem ensinado?

Que diria você, se soubesse que esse “manual” vem acompanhado de um curso, que inclui algumas “tarefas” como fazer um convite para um homossexual vir a sala de aula para que explique suas próprias experiências, ou pior ainda, efetuar visitas a organizações de homossexuais, onde se lhe explicará com todos os detalhes como se deve “assumir” a homossexualidade?

E, que diria você se o Ministério da Educação (do Chile) outorgasse um respaldo oficial a este “manual” dando-lhe boas vindas, como acaba de fazê-lo a chefe do Departamento de Educação Extracurricular do Ministério de Educação, Magdalena Garretón: “São muito bem-vindos os materiais para ensinar sobre este tema” (publicado no Jornal El Mercúrio em 28 de abril de 2009) ainda que o MEC – Chileno não o respalde? Continue lendo

22/05/2009 Posted by | Discipulado | Deixe um comentário

Medite

“Todas as coisas me são lícitas,mas nem todas as coisas convêm. Todas as coisas me são lícitas, mas eu não me deixarei dominar por nenhuma.”

I Coríntios 6:12

“Todas as coisas me são lícitas, mas nem todas as coisas convêm; todas as coisas me são lícitas, mas nem todas as coisas edificam.”

I Coríntios 10:23

20/05/2009 Posted by | Discipulado | Deixe um comentário